Somos cultivadores da PAZ, muito bem-vindo(a) a esta cultura!

E D I T O R I A L

ROÇA DE PAZ
2ª EDIÇÃO do Acampamento de Poetas del Mundo.
RELATÓRIO VANDA FERREIRA – DIRETORA DE MEIO AMBIENTE

O projeto "Acampamento de Poetas del Mundo" é inovador e essencial para gerar vantagens ao processo de mudança social e potencializar abrangências à legitimidade das ações em prol da sustentabilidade ambiental.
"Ame a natureza como a ti mesmo" é o slogan da 2ª edição do projeto e foi elaborado com a finalidade de transformar positivamente, tanto no âmbito externo ambiental quanto no interno organizacional de Poetas del Mundo, de seus membros e convidados, passa a propor além dos poetas, também a integração de toda sociedade artística ao contexto da responsabilidade ambiental, somando braços, alertando realidades, propondo mudanças, realizando sonhos.
Roça de Paz foi realizado em janeiro de 2011, em área rural, na sede do Consulado de Poetas del Mundo no entorno rural de Campo Grande, no município de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil, com grande empenho da cônsul Vanda Ferreira, que nos coloca como surgiu e é realizado esse trabalho.
Quando assumi o Consulado no entorno rural de Campo Grande, inspirada no Manifesto Universal de Poetas Del Mundo, apresentei à Embaixadora do Fórum Poetas Del Mundo para o Brasil e atual presidente da Associação Internacional Poetas Del Mundo, Delasnieve Daspet, o projeto Acampamento de Poetas Del Mundo como um programa capaz de propiciar e estender ações variadas para desenvolvimento das atividades da Diretoria de Meio Ambiente da Associação Poetas Del Mundo, assumida por mim.
Devo relatar que o que nos move é o ideal da busca integrada de ações que abranjam todo o contexto artístico e social em prol do crescimento da cultura e da conscientização da necessidade do cuidado com o Meio Ambiente, como fator essencial na conquista da política da PAZ na terra.
Como Diretora de Meio Ambiente em Mato Grosso do Sul, eu sinto a necessidade de que o projeto Acampamento de Poetas Del Mundo seja reapresentado à entidade para analisarmos sua funcionalidade e necessidade de extensão para as próximas edições, pois deixa de ser um programa criado pelo consulado, para ser um braço de uma associação de cunho internacional, que integra 117 países, o que agrega a potencialidade de se tornar um grande empreendimento e uma poderosa ferramenta nas causas ambientais, uma vez que as edições anteriores só podem ser consideradas um ponto de partida para uma representatividade maior pelos Poetas Del Mundo, o que nos determina repensar juntos em um sistema eficaz para garanti-la.
Pode-se observar desde a primeira edição a receptividade da sociedade para compartilhar da idéia de trabalhar as causas ambientais, em ambiente natural – gerando uma empatia maior dado ao notório interesse por parte de produtores de diversos segmentos que participaram de nossas ações para a formação de uma aliança em torno do projeto, somando esforços no seu crescimento.
A harmonia existente mapeou a reciprocidade entre os participantes para adesão a esta iniciativa, já não como membros, mas como ativistas, abraçando a causa, o que foi berço de um sentimento de gratidão por todos estarem juntos em torno da nobre meta de lutarmos pela vida, como seres humanos que lançam semente de paz, de esperança, de boa vontade para a continuidade de vida de qualidade, com uma integração responsável ambiental e humana, no planeta Terra.

Vanda Ferreira
Cônsul entorno rural de Campo Grande/MS/BR




3ª edição do Acampamento

3ª edição do Acampamento
Clique na imagem, te espero lá

sábado, 10 de novembro de 2012

Noticiário




A tormenta continua sempre que ligo o
A televisão.
Cinco morrem, mataram outros sete,
E a cracolândia mudou para a Avenida Brasil.
Noutro dia,
Oito são fuzilados e ônibus foram queimados.
Viciados vivem como mortos vivos,
Mulheres violentadas sem perceberem, homens,
Quebrando seus ossos por uma pedra,
Morador de rua agora é Fashion,
Por uma pedra.
Para fugirem da realidade?
O que os governantes fazem?
Discutem,
Enquanto nascem mais famigerados,
Nasce uma sociedade fantasma.
Cresce a morbidez humana.
Vermes evoluem.
São seres sem ideais algum,
Precisam de readaptação,
Atenção.
Mas pessoas que se dizem comuns,
Correm da podridão,
Escondendo-se em suas casas.
Prefeito não mancha sua farda,
Federais discutem e rebatem governantes.
E a cada dia que passa...
A feira se forma na cidade,
“Vendemos: crânios”;
“Dez pares de fêmur”;
“Serve quatrocentas córneas”?

Paola Vannucci
10/11/2012

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Cochicho

Cochicho

Cochicho ao silêncio o segredo.
O mar batendo sem cessar.
No rebelde sentimento de ir,
É enorme a vontade de ficar.
O sol clareia o amanhecer.
O vento da tarde arde
E no frio do ser,
Sinto saudades,
Desejo amar você.

Diana Balis,Rio de Janeiro, 6 de setembro de 2012.

sábado, 1 de setembro de 2012

Células queimadas




Um dia o vento levou meu amor
Não sabia:...
Um incêndio chegando.
Não sentia mais meus instintos.
Seu perfume exalara no ar.
Minhas células queimaram sem socorro algum.
Tive a intenção de pedir ajuda,
O fogo me sucumbira.
Minhas células secaram diante do incêndio,
Que tirou-o dos meus braços.
Querendo ser, eu a morte,
Confiei na rosa que antes parecia triste, e
Rija em meio às labaredas,
Como resposta;
Nada acabara,
Apenas uma etapa se concluíra
Esse incêndio explica tudo,
Sem sua presença, ascende uma chama,
Que nutre, queima,
Enraíza nosso amor.
Desse incêndio, aprendi que ao,
Nascer uma rosa, jamais esta morrerá.
Nem com a bomba de Hiroshima.

Paola Vannucci
01/09/2012

terça-feira, 28 de agosto de 2012

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Saudades Mutuas

Saudades Mutuas

Insurge o dia
Em mar revolto
Decora as vontades
Pinte com quadros lilás
Recate as marchas lentas
É ténue a passagem do corpo,
Revigora a alma sedenta.
Afeto, desejos e beijos inquietos.
Robustecedor de saudades mutuas.

Rio de Janeiro, 15 de agosto de 2012, Diana Balis.

sábado, 11 de agosto de 2012

ROTEIRO DA LIBERDADE - convite

Acendo vela

Acendo vela

Lua cheia de sorte 
invade meu país-natalidade.
Celestialidade-mundo-luz
chove maravilha.

Presente do tempo presente,
clara vela, historia acesa,
chama caminho longo, 
percussão das mãos.

Rebrilha destino,
rastro de amor ventila sorrisos,
pavio incandescido.

Vermelho-fogo labareda na sala de festa de meu coração.

Acendo vela,
canto dadivas,
declamo contemporaneidades,
divas, herois, idolos.

Vanda Ferreira

Poesia ao reverso

Poesia ao reverso

domingo, 29 de julho de 2012

O voo - Menotti del Pichia

O voo - Menotti del Pichia

Poeira Batida

Poeira Batida

:
 Poeira batida
Terra vermelha
Águas nascentes repousam em suaves pedregulhos...
Rolam moças em montanhas redesenhadas pelos sinos,
Olhares ao horizonte cercado de verde mato.
O vai e vem de montanhas é o mar.
O almoço é de lenha na brasa com o cheiro do tempero de Minas.
Vejo a pipa presa em fios...
E todos querem tecê-la em versos de Guimarães
Conheço os rompontes da lua que nasce crescente.
Nas labaredas do desalinhado frio, nasce o fogo.
O amor de 4 amigas,
Recria os pios da noite em confraria.

Casa Branca, Minas Gerais, Diana Balis.
(Homenagem a amiga, Restaurante da Antônia, Casa Branca)

terça-feira, 10 de julho de 2012

O Computador parte.

O Computador parte.Partem as palavras e poemas
No partido computador.
As entrelinhas que navegam o ar
Trazem dor, saudade e o esquecimento...
As palavras sofrem sem destino.
Não cobrem os gastos com a literatura.
Os pensamentos nem morrem.
Mas a antiga remington na sala
Apressa os passos nem cansados. 
Voltar ao isolamento simbólico, 
Papel e fita a dedilhar.
Viva a bandeirinha de São João!

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Nave Mãe terá Poesia a Estibordo Dia 29 as 19 h

Nave Mãe terá Poesia a Estibordo Dia 29 as 19 h

Conversa Fiada

Conversa Fiada:



O clone afoga sem dó o jeito do ser feliz.
O sorriso é largo e demorado
As vestes nem lhe cabem,
Cortou os “pelos”.
Fruto avermelhado do meu desejo,
Quase amor, quase um verso.
Reflexivo, vende a suas linhas.
Rabisca cometas, planetas, mandalas.
Sinto sua falta.
Um desejo acalentado e tantos receios.
Peço somente, volte.

Diana Balis, Rio de Janeiro, 25 de junho de 2012. 

domingo, 24 de junho de 2012

Revista Barra Legal Online

Revista Barra Legal Online: www.youblisher.com/

Esper(D)ança

Esper(D)ança

Esperança
O acorde que domina é de verde cadência cabocla.
Índios agrupam chocalhos em atitudes de vermelha esperança.
Bailam ecléticos em ritmos do encontro multicor dos povos.
Além das diferenças, somos especiais e únicos.
O legado ao futuro, é a junção reflexiva da sustentabilidade.
Coram róseas cortinas ao chão da romaria exigente.
Unidos a necessidade da pomba branca da paz,
Segue azul o Planeta Terra inconsolável.

Diana Balis, Rio de Janeiro 23 de junho de 2012.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

quinta-feira, 3 de maio de 2012

terça-feira, 1 de maio de 2012

Festival América do Sul 2012


Participei da nona edição do Festival América do Sul, realizado, como nas edições anteriores, na cidade de Corumba, em Mato Grosso do Sul.

Durante o período de 26 a 30 de abril, com apoio do Forum cultural de MS, divulguei minha produção literária por meio de exposição de livros e poemas em banners artesanais.

Tambem lancei o Projeto Literatura, Artes Visuais e Ecologia sobre tela.







Entrelaço

Entrelaço

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Poesia a Bordo dia 27/04/1 as19h as 22horas, Tijuca.

Poesia a Bordo dia 27/04/1 as19h as 22horas, Tijuca.: Esperamos você. que gosta de Cultura.
::INTRO::

Mãe

MãeMãe

Calada face de amor
Ameno o colo
Em respingo de Lua
Bebe e come.

Clara a pele.
Suado cansaço do cuidar.
Amar, ler, levar, buscar, fazer de tudo!
Quase tudo...


Os caminhos serão diferentes...
Em pena leve de tênue paisagem.
A passagem tem destino.
O bilhete da vida é individual.


Diana Balis, Rio de Janeiro, 25 de abril de 2012.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

sábado, 21 de abril de 2012

Relaxa

Relaxa:
Reflito a luz que trespassa.
O sol adormece no colo da madrugada
e os pingos nos buraquinhos amedrontados pelos relâmpagos...
Nenhum outono virava tempestade!?
O passeio na Lagoa de sapos em coaxos suaves
Voltar a fechar as pálpebras à natureza e atrelada aos fatos do passado
Um Colibri cochicha ao pé do ouvido:
Ouça o trem!
-Piuiiiiiiiiii
E relaxa!

Diana Balis, em já tive dias melhores...
Bom dia! Rio de Janeiro, 21 de abril de 2012.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

sexta-feira, 13 de abril de 2012

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Flores na Quinta

Flores na QuintaFlores na Quinta

Flores vermelhas são as que apimentam.
As rosas choques estão sedentas.
As amarelas serão solares e vivas.
Flores azuis como as borboletas na Floresta.
No passado os pássaros bicavam as orquídeas brancas.
No presente, fazemos serenatas às serenas, cor champanhe.
No futuro que almejo, os ramos de flores estarão na porta,
E ela já se abre.

Diana Balis, Rio de Janeiro, 5 de abril de 2012.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Amar

AMAR

Amar é o mais sublime dos sentimentos
Todos os demais são complementos
Amar é o que quero conquistar e meu amado amar
Nos seus mistérios enroscar-me e ama-lo somente.

Fátima Rodrigues


quinta-feira, 22 de março de 2012

Folia fora de hora

Folia fora de horaFolia fora de hora

Vai começar a festa
No carnaval montado fora de época.
Todas as fantasias estão no salão.
Quem chega, escolhe logo o personagem.
Um encontro casual de festim.
Vai ter a banda ao vivo!
E como nos velhos carnavais,
As jovens e cavalheiros dançam
E se esbaldam ao raio de luz da manhã.
Vejo, porém Colombina acuada,
Retira sua máscara reflexiva.
Em tempos de março...
Só a poesia finca o pé.

Diana Balis, Rio de Janeiro, 22 de março de 2012.

terça-feira, 20 de março de 2012

Amor Invisível (Frases e Pensamentos)

Amor Invisível (Frases e Pensamentos):

O amor é como casca de ovo, sentida a criação, pôr como significado o "contenimento".
As poeiras exaladas nas ruas transbordam em tarefas nem tão fáceis, mas o homem que trabalha e sua ao pagar suas melhorias, agradece.
O viver é como o sinaleiro de estradas, na ânsia de não criar tumultos, transforma os caminhos em engarrafamentos homéricos.
O caldo quente pode queimar a língua, mas o gosto do sabor da fruta fresca junto ao caldo é inigualável.
Os caminhos podem ser os mesmos, mas as estratégias dos sentimentos vividos serão completamente oblíquas.
Nunca se perde um amor, a referência no tempo e espaço, desse enganoso sentimento, evapora-se nos outros encontros e paixões.  Transferidas as emoções nas devidas proporções de nossos desejos.
O amor é invisível enquanto só a mim pertence na relação irreal, vibrei em sentimentos, como saborear as esculturas de Rodin.
O segredo de amor é o lúmen da paisagem.

Desejo um bom dia!
Diana Balis, Rio de Janeiro, 20 de março de 2012.

sábado, 17 de março de 2012

Crônica do dia a dia.

Crônica do dia a dia.

Crônica do dia a dia.

Hoje acordei reflexiva e rouca.
A vida leva vantagens quando queremos conversar sobre ela.
Liguei para Minas e Gerais estavam lá!
A rouquidão me deixa com saudades da voz que habita castelos de Princesas e vence o Lobo que habita a minha alma...
A personagem “Diana Balis” queria desistir de escrever suas mil páginas lidas por ninguém, e amadas por alguém, com certeza oculto.
Nada disso pagam as contas penduradas no varal. 
Lembro de Julio Saraiva trazendo laranjada e pão de queijo mineiro para a Carioca na Paulista;
Lembro do Projeto de crianças ficando na rua por 36 horas com o amigo Adriano Mattos;
Leio na Revista Vida Simples à matéria com a mesma proposta Budista...
Solidariedade, e volto ao passado.
Minhas filhas eram pequenas e uma era bebe... Eu sempre cuidava delas solitária. Na minha porta aparece uma gaúcha com duas crianças, um bebe e uma menina cabisbaixa e silenciosa.  Pareciam como nós.  A mãe pedia dinheiro para comer e voltar a sua cidade.  Dinheiro, eu não tinha, mas solidariedade sim!
Levei essa estranha para casa, servi leite e pão.  Dei um colchão macio e fraldas limpas para o bebe dormir enquanto conversávamos. 
Meu ex-marido ceramista estava em seu sítio, alheio a nossas vidas...
Ofereci um jarro azul como o céu, lindo! Feito de cerâmica em alta temperatura para a mãe levar e tentar vender para trocar pela passagem.  Era tudo o que tinha para oferecer no momento.
Ficamos um dia inteiro juntas, elas tomaram banho, almoçaram e depois com o bebe, a filha menor, o jarro e sua pequena bagagem, partiram...
Não sei se ela vendeu o jarro, se tudo deu certo na rodoviária ou se o que contara era mentira, mas naquele momento e dia, dei a elas a minha verdade, o meu lar e o meu afeto de mãe.
Diante de tão mau humor hoje, e por estar sem voz e calada, querendo dizer da vontade em fechar o blog, descobri uma boa história para contar. 
Desejo a todo um bom dia!

Diana Balis, Rio de Janeiro, 17 de março de 2012. 

domingo, 11 de março de 2012

Gotas de mel

Gotas de mel


O adocicado tempero fraqueja
Comer é o ato libidinoso.
O mestre sem cerimônias, exagera as cores e sabores.
Como nos Castelos de Monarquia,
Os cabelos altos e revoltos, na farta mesa degustam novos odores.
Tranquilamente junto deles, sentam-se os cães de caça.
O tempo é de vinhos, pães, faisões e leitões.

Hoje tem a carne humana...
O prato temperado em revistas é a mulher...o homem...o ser.
Vejo da janela o cheiro do tempero.
No desamor, onde mora a filosofia,
Sodoma e gomorra é ficção?
Ou é salgado o gosto de amar?

Diana Balis, Rio de Janeiro, 11 de março de 2012.

quinta-feira, 8 de março de 2012

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

              
UM BRINDE              AS  MULHERES!
            



           

domingo, 4 de março de 2012

Rio dos amores

Rio dos amores:

Rio dos amores

Vívidas paisagens...

O capricho do Marujo

Protege a embarcação,

Velas e Ilhas,

Acesas as lamparinas,

Estão entrelaçadas as colagens.

A cadeira é blues.

Ah! O azul!

Corro no céu do Rio de Janeiro,

Ventanias aos olhos das filhas

E os cabelos vermelhos.

Pescam os rumos e cantigas

Embalam as balsas e lembranças.

Afoitos apaixonados

Esquecidos do arco-íris...

E em cada volta,

A sua vida era mais feliz.

Diana Balis, Rio de Janeiro, 4 de março de 2012.

quinta-feira, 1 de março de 2012

Amor ao Rio

Amor ao Rio

Amor ao Rio

O sol da paz brilha no horizonte...

Está impressa a ternura no contexto social.

O tempo é de reconstruções.

Os políticos ajeitam hoje melhor suas gravatas.

O povo fica feliz e são transportados em poucos trens.

As moças vão de saias ao trabalho para comemorar à tarde.

Os homens aprenderam a dançar as novas músicas...

A Feira de São Cristóvão lotará com a comemoração do dia.

Reis e Rainhas estarão no show da Quinta da Boa Vista.

Hoje o Rio de Janeiro comemora 447 anos.

Viver é isso! Conviver na festa.

Diana Balis, Rio de Janeiro, 1 de março de 2012.

Dia 1º de março Na Quinta da Boa Vista, a partir das 19h

No centro da cidade, no Largo da carioca, a partir das 11h

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Recreio, Belo Horizonte, 2012

Recreio, Belo Horizonte, 2012

Amigos, Em visita a Escola Recreio em Belo Horizonte, aproveitei para cantar músicas e contar a história

"O Mico Leão Dourado e as Maritacas Estridentes". Nos divertimos muito.

A Escola está linda e bem preparada para receber os novos amigos.

Em breve já estará com as nossas outras histórias:

"Os Buracos do Tatu" e "A Viagem da Girafa Sofia".

Histórias com Livros de feltros, dedoches e Cd.

As cantigas e as histórias de nossa produção independente, com a Direção Musical de Heitor Brandão.

Abraços e até outra oportunidade.

Agradeço!!

Gisele Santana

(foto da atividade, fevereiro de 2012)


quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Concorrência

Concorrência: Concorrência


Descrevo aqui adjuntos, verbos e pronomes à concorrência.

Estou marcando os pontos no bingo da melhor idade.

Sambo 3 vezes por dia e suo quando necessário.

Trabalho como autônoma e sobrevivo às crises inaugurando algo inédito.

As lágrimas que choro, já sustentaram a alma de alguma Nossa? Senhora!

Depressão é caso de geografia.

Os amores serão sempre abstratos...

Mas seguindo o rumo do trajeto

Navego no mar revolto das descobertas...

Nada seria sem a bateria da Escola do Salgueiro,

E nós, da criatividade da Unidos da Tijuca

Ou os Boêmios tradicionais sambistas de Vila Isabel,

Agradecemos o reconhecimento do fato,

Somos os melhores no Carnaval 2012.

Ufa!

A Tijuca tem algo de muito bom.

Diana Balis, Tijuca, Rio de Janeiro, 23/02/2012.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Folião

Folião: Folião

O corpo escorregadio nas vestes celestes.
O carnaval homenageia o amor
Os sentimentos refrigeram a alma do artista.
O amanhecer do vapor na paixão,
A esperança é corredeira na via do apego.
Vejo o nego a bateria vibrar.
O carnaval furioso aquece meu lar.
Diana Balis, Rio de Janeiro, 21 de fevereiro de 2012.