Somos cultivadores da PAZ, muito bem-vindo(a) a esta cultura!

E D I T O R I A L

ROÇA DE PAZ
2ª EDIÇÃO do Acampamento de Poetas del Mundo.
RELATÓRIO VANDA FERREIRA – DIRETORA DE MEIO AMBIENTE

O projeto "Acampamento de Poetas del Mundo" é inovador e essencial para gerar vantagens ao processo de mudança social e potencializar abrangências à legitimidade das ações em prol da sustentabilidade ambiental.
"Ame a natureza como a ti mesmo" é o slogan da 2ª edição do projeto e foi elaborado com a finalidade de transformar positivamente, tanto no âmbito externo ambiental quanto no interno organizacional de Poetas del Mundo, de seus membros e convidados, passa a propor além dos poetas, também a integração de toda sociedade artística ao contexto da responsabilidade ambiental, somando braços, alertando realidades, propondo mudanças, realizando sonhos.
Roça de Paz foi realizado em janeiro de 2011, em área rural, na sede do Consulado de Poetas del Mundo no entorno rural de Campo Grande, no município de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil, com grande empenho da cônsul Vanda Ferreira, que nos coloca como surgiu e é realizado esse trabalho.
Quando assumi o Consulado no entorno rural de Campo Grande, inspirada no Manifesto Universal de Poetas Del Mundo, apresentei à Embaixadora do Fórum Poetas Del Mundo para o Brasil e atual presidente da Associação Internacional Poetas Del Mundo, Delasnieve Daspet, o projeto Acampamento de Poetas Del Mundo como um programa capaz de propiciar e estender ações variadas para desenvolvimento das atividades da Diretoria de Meio Ambiente da Associação Poetas Del Mundo, assumida por mim.
Devo relatar que o que nos move é o ideal da busca integrada de ações que abranjam todo o contexto artístico e social em prol do crescimento da cultura e da conscientização da necessidade do cuidado com o Meio Ambiente, como fator essencial na conquista da política da PAZ na terra.
Como Diretora de Meio Ambiente em Mato Grosso do Sul, eu sinto a necessidade de que o projeto Acampamento de Poetas Del Mundo seja reapresentado à entidade para analisarmos sua funcionalidade e necessidade de extensão para as próximas edições, pois deixa de ser um programa criado pelo consulado, para ser um braço de uma associação de cunho internacional, que integra 117 países, o que agrega a potencialidade de se tornar um grande empreendimento e uma poderosa ferramenta nas causas ambientais, uma vez que as edições anteriores só podem ser consideradas um ponto de partida para uma representatividade maior pelos Poetas Del Mundo, o que nos determina repensar juntos em um sistema eficaz para garanti-la.
Pode-se observar desde a primeira edição a receptividade da sociedade para compartilhar da idéia de trabalhar as causas ambientais, em ambiente natural – gerando uma empatia maior dado ao notório interesse por parte de produtores de diversos segmentos que participaram de nossas ações para a formação de uma aliança em torno do projeto, somando esforços no seu crescimento.
A harmonia existente mapeou a reciprocidade entre os participantes para adesão a esta iniciativa, já não como membros, mas como ativistas, abraçando a causa, o que foi berço de um sentimento de gratidão por todos estarem juntos em torno da nobre meta de lutarmos pela vida, como seres humanos que lançam semente de paz, de esperança, de boa vontade para a continuidade de vida de qualidade, com uma integração responsável ambiental e humana, no planeta Terra.

Vanda Ferreira
Cônsul entorno rural de Campo Grande/MS/BR




3ª edição do Acampamento

3ª edição do Acampamento
Clique na imagem, te espero lá

terça-feira, 30 de novembro de 2010

SEMENTES DA RAZÃO

SEMENTES DA RAZÃO

É impossível falar em sustentabilidade sem sustento. Comprometimento sem responsabilidade.

O povo que passa dificuldades e fome procura eliminá-las antes de se preocupar com o meio ambiente.


Estaria a perpetuação do planeta garantida sem o homem?

Não adianta ser poético e estar engajado em programas de salvação do planeta sem produzir e, também, produzir sem consciência ecológica.

O consumo gera lixo e entulho que precisa ser retirado, tratado e reciclado. Essas operações não ocorrem de forma graciosa.

Tivéssemos que usar nossos veículos para transportar nosso lixo diário para algum ponto na cidade, certamente haveria muita sujeira espalhada pelas ruas. Todos fariam sua parte?Duvido!
Isso não ocorre porque há investimentos e pagamos taxas para a operação.

O produto que poluiu também emprega e traz conforto. Nesse ponto residem as dificuldades para ordem nas cidades, mas também monta a equação.

A energia atômica que amedronta é a mesma que combate o câncer. O lixo radioativo contamina o planeta, mas na sua origem gerou energia que beneficiou empresas, pessoas e lares.

O mesmo progresso que coloca nosso mundo em risco é o único que pode gerar recursos para salvá-lo.

Produtos não poluentes, tratamento de água e esgotos, reciclagem e aproveitamento de materiais demandam investimentos em capital intelectual.

Não são os minérios escavados nas montanhas que produzirão equipamentos miraculosos, mas a inventividade escavada nas mentes geniais de seres humanos privilegiados pela natureza que permite tratar questões complexas com engenhosidade.

O compromisso do homem é descobri-los, prepará-los, conscientizá-los e apoiá-los para que encontrem soluções para os modernos antigos problemas: a existência com sustentação.

Uma leitura despreocupada pode nos levar a crer que o homem é o único responsável pelo risco que o planeta pode oferecer às espécies.

A terra tem 4,6 bilhões de anos. A vida está presente há 3,5 bilhões de anos. Esta já se apresentou de incontáveis formas.

Um estudo da Universidade do Kansas e do Instituto Smithsonian, ambos nos Estados Unidos, afirma que eventos de extinção em massa ocorrem no nosso planeta a cada 27 milhões de anos.

A pesquisa investigou os chamados "eventos de extinção" do nosso planeta nos últimos 500 milhões de anos - um período duas vezes maior que qualquer estudo anterior - e afirma ter provado que eles ocorrem com a regularidade de um metrônomo. Segundo a reportagem, os pesquisadores dizem estar 99% certos de que esses eventos ocorrem a cada 27 milhões de anos.

O homem surgiu há 3 milhões de anos, portanto há muitas questões que precisam ser investigadas e entendidas e que não foram por este provocadas.

Podemos então ficar despreocupados? Evidentemente que não, o modelo de produção e sustentação das vidas humanas tem acelerado os problemas ambientais. A questão não fica restrita ao que deixaremos às gerações futuras, mas o que as gerações presentes terão que enfrentar.

As sementes da razão fazem com que brotem nas nossas mentes as árvores da consciência que nos levam a questionar não apenas o que somos, para que viemos e para onde vamos, mas principalmente o que estamos fazemos.

Sem essa atitude a inexistência será a marca de gerações preocupadas com a existência.

Enquanto isso nos cabe a responsabilidade da sustentabilidade do progresso para alcançarmos o progresso da sustentabilidade.

Ivan Postigo
Diretor de Gestão Empresarial
Postigo Consultoria Comunicação e Gestão
www.postigoconsultoria.com.br
Twitter: @ivanpostigo
Skype: Ivan.postigo
http://www.jornaldacidadeonline.com.br/leitura_artigo.aspx?art=2679

FERNANDO PESSOA Hoje, dia de lembranças..

FERNANDO PESSOA Hoje, dia de lembranças..

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Amar é linha - EsqueCimento

Esk + Cimento
Nojo+Endurecimento

As palavras divididas entre as sonâncias dos sentidos
Traduzem as entrelinhas do pensamento.
Esquecimento...
-O amor endurecido.
Na falta de responsabilidades com os sentidos,
Oferta seus devidos créditos ao esquecimento.
Explique a Ninguém,
Alguém desistiu de esperar...
Era de carne, osso e alma,
A Lua cheia de verbo amar.

Diana Balis em despedida. Rio de Janeiro, 12 de novembro de 2010.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Ali se faz, aqui se paga - as queimadas e a seca na Amazonia NÃO DEIXEM DE VER

Rodrigo Baleia

O dia-a-dia dos fotógrafos da National Geographic Brasil

http://viajeaqui.abril.com.br/national-geographic/blog/ali-se-faz-aqui-se-paga-queimadas-seca-amazonia-272957_comentarios.shtml?8166776

AUDIOTECA Isto é demais de bom e existe, vamos divulgar?

Recebi esta mensagem do amigo Breno Moroni, entendo que devemos divulgar!!!

Será que Você pode divulgar este trabalho, que é incrível? O pessoal é super sério, conferi pessoalmente. O serviço é para o Brasil todo.
Eles emprestam por 30 dias ao deficiente visual os livros falados (em fita cassete,CD ou MP3)
Enviam para o interessado, depois a pessoa devolve pelo correio sem custo algum.Tem uma lei que garante esta gratuidade.
Obrigada.
Beijos.Regina

AUDIOTECA SAL E LUZ

VENHO POR MEIO DESTE E-MAIL DIVULGAR O TRABALHO MARAVILHOSO QUE É
REALIZADO NA AUDIOTECA SAL E LUZ, E QUE CORRE O RISCO DE ACABAR.

A AUDIOTECA SAL E LUZ é UMA INSTITUIÇÃO FILANTRÓPICA, SEM FINS
LUCRATIVOS, QUE PRODUZ E EMPRESTA LIVROS FALADOS (AUDIOLIVROS) .

MAS O QUE SERIA ISTO? SãO LIVROS QUE ALCANÇAM CEGOS E DEFICIENTES
VISUAIS (INCLUSIVE OS COM DIFICULDADE DE VISãO PELA IDADE AVANÇADA),
DE FORMA TOTALMENTE GRATUITA.

SEU ACERVO CONTA COM MAIS DE 2.700 TíTULOS QUE VãO DESDE LITERATURA
EM GERAL, PASSANDO POR TEXTOS RELIGIOSOS ATÉ TEXTOS E PROVAS
CORRIGIDAS VOLTADAS PARA CONCURSOS PúBLICOS EM GERAL.

SãO EMPRESTADOS SOB A FORMA DE FITA K7, CD OU MP3.
E AGORA, VOCÊ ESTÉ SE PERGUNTANDO: O QUE EU TENHO A VER COM ISSO?
É SIMPLES.

NOS AJUDE DIVULGANDO!!!

SE VOCê CONHECE ALGUM CEGO OU DEFICIENTE VISUAL, FALE DO NOSSO
TRABALHO. DIVULGUE!!!

PARA TER ACESSO AO NOSSO ACERVO, BASTA SE ASSOCIAR NA NOSSA SEDE, QUE
FICA SITUADA À RUA PRIMEIRO DE MARÇO, 125- CENTRO. RJ.

NãO PRECISA SER MORADOR DO RIO DE JANEIRO.

A OUTRA OPÇãO FOI UMA ALTERNATIVA QUE SE CRIOU, FACE À DIFICULDADE
DE LOCOMOÇãO DOS DEFICIENTES NA NOSSA CIDADE.

ELES PODEM SOLICITAR O LIVRO PELO TELEFONE, ESCOLHENDO O TíTULO PELO
SITE, E ENVIAREMOS GRATUITAMENTE PELOS CORREIOS.

A NOSSA MAIOR PREOCUPAçãO RESIDE NO FATO QUE, APESAR DO GOVERNO
ESTAR AJUDANDO IMENSAMENTE, É PRECISO APRESENTAR RESULTADOS.

PRECISAMOS ATINGIR UM NúMERO SIGNIFICATIVO DE ASSOCIADOS, QUE
REALMENTE CONTEMPLEM O TRABALHO, SENÃO ELE IRÁ SE EXTINGUIR E OS
DEFICIENTES NãO PODERÃO DESFRUTAR DA MAGIA DA LEITURA.

SÓ QUEM TEM O PRAZER NA LEITURA, SABE DIZER QUE É IMPOSSíVEL
IMAGINAR O MUNDO SEM OS LIVROS...

AJUDEM-NOS, DIVULGUEM!

ATENCIOSAMENTE,

Christiane Blume - Audioteca Sal e Luz. Rua Primeiro de Março, 125-
7º Andar. Centro - RJ. CEP 20010-000
Fone: (21) 2233-8007
Horário de atendimento: 08:00 às 16:00 horas
http://audioteca.org.br/noticias.htm

A AUDIOTECA NãO PRECISA DE DINHEIRO, MAS DE DIVULGAÇÃO !
CONTO COM A AJUDA DE VOCÊS: REPASSEM! ELES ENVIAM PARA AS
PESSOAS DE GRAÇA, SEM NENHUM CUSTO. É UM BELO TRABALHO! QUEM PUDER
FAZER COM QUE A AUDIOTECA CHEGUE À MíDIA, POR FAVOR FIQUE à
VONTADE. É TUDO DO QUE ELES PRECISAM./

Hoje dia 11/11/2010 - 18 h- Rio de Janeiro- Centro

Hoje dia 11/11/2010 - 18 h- Rio de Janeiro- Centro

terça-feira, 9 de novembro de 2010

O MANDACARÚ


O mandacarú


Do semi-árido da seca inclemente

trago bem viva a lembrança verdejante

da alva e bela flor do mandacaru

rainha da estiagem e sobrevivente

desafiando a terra ardente


E é na calada da madrugada morna

que seus botões insistem em surgir

e despontam insolentes por entre os espinhos intrincados

do mandacaru ainda dormente.


Dura uma noite só a branca flor,e ao alvorecer

murcha deixando a certeza da chegada da chuva benfazeja

sempre que nascem as primeiras flores brancas

do subversivo mandacaru.


É festa na aridez do sertão:esperança renascida com o vento quente e seco

e descortinando o vale vermelho da terra trincando sob os pés,

segue a boiada na ansiosa espera da agua salvadora

enquanto altaneiro ,o fruto violeta da planta espinhosa

é alimento do gado e dos homens de pés no chão


E como o sertanejo,resistente aos embates e ás intempéries

o mandacaru insiste:é a vida que vai driblando a morte

que espreita por entre as sombras do deserto de meu Deus.

Vida renascida por entre espinhos,do cactus verde e arisco,na forma de flor ,quase amor,prenuncio de melhor sorte.


Sonho com as aguas cristalinas do Velho Chico,

sonho com a agua que vertendo do céu em enxurrada,

é o aviso de que Deus ouviu as preces das mulheres da caatinga,

e na estação chuvosa há espaço para risos e bem-aventurança,

e ,desafiando céu e mar de areia fumegante ,que não esmoreça jamais

nossa E-S-P-E-R-A-N-ÇA!


Marcia Tigani_ novembro 2010
LINDA E VERDEJANTE SEMANA PRÁ TI! BEIJOS POÉTICOS!

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Permacultura

PERMACULTURA
Poderiamos definir Permacultura, literalmente, como CULTURA PERMANENTE.
Esse conceito foi desenvolvido nos anos 70 por dois australianos: David Holmgren e Bill Mollison, e foi resultado da criação e desenvolvimento de pequenos sistemas produtivos organicamente integrados (a casa, o entorno, as pessoas...) proporcionando responder as necessidades básicas de uma maneira harmoniosa.

Ela se caracteriza por projetos que faz a utilização de métodos ecologicamente saudáveis e economicamente viáveis, que respondam as necessidades básicas sem explorar ou poluir o meio ambiente, que se tornem auto-suficientes a longo prazo.

Entente-se que tanto o habitante quanto a sua morada e também o meio ambiente em que estão inseridos fazem parte de um mesmo e único organismo vivo.


A Permacultura trata as plantas, animais, construções, infra-estruturas (água, energia, comunicações) não apenas como elementos isolados, mas como sendo todos parte de um grande sistema intrinsecamente relacionado.

Para isso, faz-se necessário a observação e a combinação de vários aspectos: os ecossistemas, a sabedoria ancestral e também o conhecimento científico, aproveitando as qualidades inerentes das plantas e animais, combinando suas características naturais com os elementos que compõem a paisagem, e mais a infra-estrutura existentes, para que se possa produzir assim um sistema que suporte o desenvolvimento da vida, tanto na cidade quanto no campo, utilizando-se o mínimo de recursos possíveis.



A Permacultura aproveita todos os recursos disponíveis, e faz uso da maior quantidade de funções possíveis de se aproveitar de cada elemento presente na composição natural do espaço. Mesmo os excedentes e dejetos produzidos por plantas, animais e atividades humanas são utilizados para beneficiar outras partes do sistema.
As plantações são organizadas de modo que se aproveite da melhor maneira possível toda a água e a luz disponíveis. Elas são arranjadas num padrão circular em forma de mandalas, com acesso facilitado por todos os lados. Os pomares são cobertos de leguminosas imitando o ambiente das florestas. Os galinheiros são rotativos, para que as galinhas sejam deslocadas para outro ponto após terem estercado a terra, que será usada para outro fim, enquanto que as galinhas preparam e adubam uma nova área..

O princípio básico da Permacultura é:
trabalhar "com" e "a favor de", e não "contra a natureza".

Os sistemas Permaculturais são desenvolvidos para durar tanto quanto seja possível, com o mínimo de intervenção.
Os sistemas são tipicamente energisados com a luz do sol, os ventos, e/ou as águas, produzindo energia suficiente para suas próprias necessidades.

Procura-se aproveitar também toda a flora local, associando árvores, ervas, arbustos e plantas rasteiras...que se alimentam e se protegem mutuamente. A água da chuva também é aproveitada através da instalação de captadores, que faz com que a água seja armazenada e utilizada para diversos fins, como a descarga do vaso sanitário, por exemplo.
Fonte: IPEMA



terça-feira, 2 de novembro de 2010

Age, Agora! - Delasnieve Daspet

Age, Agora!
Delasnieve Daspet – 19-10-06


Age, agora!
Tua ação pode ser o raiar as claras da alvorada,
Tua omissão será como o escurecer da
Misteriosa tristeza de uma noite sem estrelas...

Age, agora!
Teu agir será como uma sinfonia dos ventos nordestes,
E não o soluço das brisas sem alento!

Age, agora!
Teu grito de alerta acordará os adormecidos,
Que sentirão o mesmo medo e dirão:
Pobre Terra, Pobre Humano!

Age, agora!
Pois a paz se realiza na caridade,
Ela se firma na bondade,
Ela leva em si a esperança
Que tanto nos falta!

Age, agora!
A indiferença e o desamor matam!
Se tens a Paz,
Não sonhes com o amanhã,
Age, agora!
VESTIDO VERDE

Ela vestiu-se de verde, para o amado dela
E na ribalta encenou os mais belos poemas de amor!

Derramou versos em clorofila,
cruzou rimas insinuantes e com a alma jubilosa e bela,
Cantou verbenas para o amado dela!

Vestido verde embalante, de reflexo contagiante
Na ribalta, fez esperança na paixão
E com a alma jubilosa e bela, ao som de Ravel na passarela
Despiu-se do vestido verde - para o amado dela!

Sagramor Farias

Pensamento de Platão sobre a paz

A paz do coração é o paraiso dos homens. Platão